O que é Plano de Parto?

O PARTO

O plano de parto é um documento que serve para registrar seus desejos quanto à forma como você gostaria que seu trabalho de parto e pós-parto fossem conduzidos. É um exercício que pode ajudá-la a compreender e definir o que é realmente importante para você, criando uma reflexão e compreensão maior sobre as diversas fases do trabalho de parto, procedimentos médicos necessários (Quando necessários) e a forma como você gostaria que seu bebê fosse cuidado após o nascimento.

Por que fazer um plano de parto?

A gestante/parturiente tem o direito de participar das decisões que envolvem seu bem estar e do bebê que vai nascer, todas essas informações devem ser fornecidas com base em evidencias cientificas e fundamentadas antes de serem executadas. Esses detalhes podem fazer uma grande diferença no seu parto, tornando a experiência de dar à luz em um momento enriquecedor e inesquecível para toda família.

Fazer um plano de parto tem três funções muito importantes:

  • Evitar imprevistos.
  • Levar você a conhecer e pensar sobre cada momento do seu trabalho de parto e podendo fazer escolhas conscientes que se referem ao seu corpo e ao seu bebê.
  • Deixar bem claro suas escolhas, desejos e preferências para a equipe que vai te acompanhar.

O que pode constar no Plano de Parto?

TUDO, desde as primeiras contrações até os primeiros dias pós-parto. O plano de parto é basicamente uma lista de desejos, onde você expõe tudo o que pensou e deseja desse momento tão único. É uma forma de organizar suas idéias para facilitar o diálogo com a equipe que te acompanhará. Não é uma lista de “mandamentos” e “ordens” e muito menos um “alvará” para sua desobediência frente à equipe.
Em que maternidade ou casa de parto você quer ter o bebê? Você gostaria de um acompanhante? Gostaria da presença de uma Doula? Você aceita receber lavagem intestinal, raspagem dos pelos, soro com hormônios sintéticos para acelerarem seu trabalho de parto, anestesia ou ficar sem comer e beber durante todo esse processo? O que a medicina baseada em evidências e a OMS (Organização Mundial da Saúde) tem a dizer sobre esses procedimentos considerados de rotina? Você gostaria de amamentar seu bebê logo após o parto? Gostaria do clampeamento tardio do cordão umbilical e assim garantir uma enorme reserva de ferro para o seu bebê? Em caso de cesárea, gostaria de um ambiente mais acolhedor? Gostaria, por exemplo, de deixar aquela musica que significa tanto para você tocando ao fundo? Gostaria de segurar seu bebê com a ajuda do seu acompanhante após o parto? Quais procedimentos você aceita e quais prefere evitar?
São pequenos detalhes que fazer uma enorme diferença, que podem garantir um parto único, ativo e feliz, trazendo segurança para mãe, pai e bebê.

Como Fazer um Plano de Parto?

Primeiramente BUSQUE INFORMAÇÃO, além de saber dos procedimentos comuns de seu médico obstetra, enfermeira obstetra ou obstetriz, procure em livros, artigos e sites de confiança que te ofereçam informações de qualidade. Cursos de preparação para o parto e até fóruns de discussões na internet podem ajudar bastante. Se puder, converse com ex-gestantes que tiveram parto no mesmo local ou até mesmo com o mesmo profissional, participe de rodas de gestantes e puérperas mas nunca se esqueça, cada parto é um parto e cada mulher deve ser tratada com a sua própria individualidade.

Quando devemos levá-lo para o médico?

Desde a primeira consulta você pode começar a fazer perguntas sobre como o seu médico costuma agir durante o parto de suas pacientes, apresente seus medos e desejos e veja como ele lida com eles. Para levar por escrito é melhor que seja a partir do sexto ou sétimo mês, e para deixar uma cópia para o médico é melhor estar bem próximo da data prevista, mesmo porque suas preferências e escolhas podem mudar no decorrer da gestação.

Veja aqui um exemplo de plano de parto de um casal que optou por um parto hospitalar

“Estamos cientes de que o parto pode tomar diferentes rumos. Abaixo listamos nossas preferências em relação ao parto e nascimento do nosso filho, caso tudo transcorra bem. Sempre que os planos não puderem ser seguidos, gostaríamos de ser previamente avisados e consultados a respeito das alternativas.

Trabalho de parto:

–  presença de meu marido e doula.

– sem tricotomia (raspagem dos pelos pubianos) e enema (lavagem intestinal).

– sem perfusão contínua de soro e ou ocitocina.

– liberdade para beber água e sucos enquanto seja tolerado. 

– liberdade para caminhar e escolher a posição que quero ficar. 

– liberdade para o uso ilimitado da banheira e/ou chuveiro. 

– monitoramento fetal: apenas se for essencial, e não contínuo. 

– analgesia: peço que não seja oferecido anestésicos ou analgésicos. EU  pedirei quando achar necessário.

– sem rompimento artificial de bolsa

 
Parto:

 – prefiro ficar de cócoras ou semi-sentada (costas apoiadas).

 – prefiro fazer força só durante as contrações, quando eu sentir vontade, em  vez de ser guiada. Gostaria de um ambiente especialmente calmo nesta hora.

– não vou tolerar que minha barriga seja empurrada para baixo.

– episiotomia: só se for realmente necessário. Não gostaria que fosse uma intervenção de rotina.

– gostaria que as luzes fossem apagadas (penumbra) e o ar condicionado  desligado na hora do nascimento. Gostaria que meu bebe nascesse em ambiente calmo e silencioso.

– gostaria de ter meu bebe colocado imediatamente no meu colo após o parto com liberdade para amamentar.

– gostaria que o pai cortasse o cordão após o mesmo ter parado de pulsar.

Após o parto:
– aguardar a expulsão espontânea da placenta, sem manobras, tração ou  massagens. Se possível ter auxílio da amamentação.

– ter o bebê comigo o tempo todo enquanto eu estiver na sala de parto, mesmo  para exames e avaliação.

– liberação para o apartamento o quanto antes com o bebê junto comigo. Quero estar ao seu lado nas primeiras horas de vida.

– alta hospitalar o quanto antes.
Cuidados com o bebê:
– administração de nitrato de prata ou antibióticos oftálmicos apenas se  necessário e somente após o contato comigo nas primeiras horas de vida.

– administração de vitamina K oral (nos comprometemos em dar continuidade  nas doses).

– quero fazer a amamentação sob livre demanda.
– em hipótese alguma, oferecer água glicosada, bicos ou qualquer outra coisa ao bebê.

– alojamento conjunto o tempo todo. Pedirei para levar o bebê caso esteja muito cansada ou necessite de ajuda.

– gostaria de dar o banho no meu bebê e fazer as trocas (ou eu ou meu marido).
Caso a cesárea seja necessária:

– exijo o início do trabalho de parto antes de se resolver pela cesárea.
– quero a presença da doula e de marido na sala de parto.

– anestesia: peridural, sem sedação em momento algum.

– na hora do nascimento gostaria que o campo fosse abaixado para que eu possa vê-lo nascer.

– gostaria que as luzes e ruídos fossem reduzidas e o ar condicionado desligado.

– após o nascimento, gostaria que colocassem o bebê sobre meu peito que minhas mãos estejam livres para segura-lo.

– gostaria de permanecer com o bebe no contato pele a pele enquanto estiver na sala de cirurgia sendo costurada.

– também gostaria de amamentar o bebê e ter alojamento conjunto o quanto antes.      
Agradeço muito a equipe envolvida e a ajuda para tornar esse momento especial e tão importante para nós em um momento também feliz e tranqüilo como deve ser.

Muito obrigada